Variações na tireoide oferecem perigo ao coração

Variações na tireoide oferecem perigo ao coração

O hormônio TSH, produzido pelo cérebro, tem a função de regular a atividade tireoidiana. Se ele está em excesso ou em falta, a tireoide produz doses diminutas ou altíssimas do hormônio T4 — é o hipo ou o hipertireoidismo, respectivamente. Contudo, às vezes a alteração do TSH não é tão intensa e, assim, mal mexe com o T4. A isso se dá o nome de hiper ou hipotireoidismo subclínico. Acontece que um estudo da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, mostra que mesmo essas condições já podem bagunçar a saúde cardiovascular.

O trabalho revelou que mulheres com um aumento do TSH, mas sem variações significativas no T4, apresentaram uma piora nos índices de colesterol e em um marcador ligado a disfunções cardíacas e ao diabete. Mais de 3 300 voluntárias com idade média de 57 anos foram analisadas pela pesquisa, sendo que todas estavam livres de doenças.

Os cientistas descobriram que, entre as participantes, 17,3% manifestavam hiper ou hipotireoidismo subclínico. Em uma entrevista, o cientista brasileiro Paulo Henrique Harada, que fez parte da investigação, afirma que elas eram aparentemente saudáveis. “Apesar de, neste estágio, as pessoas habitualmente não apresentarem sintomas, suspeita-se que tais problemas estejam atrelados a maior risco futuro de doenças cardiovasculares e diabete tipo 2”, ensina.

Essa não é a primeira vez que esse tipo de encrenca é associado a males preocupantes. Pesquisadores da Faculdade de Medicina de Marília, no interior de São Paulo, já relacionaram o hipertireoidismo subclínico a complicações cardíacas e infartos. Posteriormente, uma conexão foi estabelecida até com a osteoporose.

Os exames que avaliam a saúde da glândula

Para descobrir como anda a tireoide, não há muito segredo. Dois exames de sangue dosam os hormônios associados a essa glândula, importante para o funcionamento de todo o organismo – em excesso, eles provocam o hipertireoidismo e, quando andam em baixa, estão associados ao hipotireoidismo.

Enquanto o TSH é produzido no cérebro para estimular o funcionamento da tireoide, o T4 é secretado por ela mesma. Hoje em dia, a análise do T4 total está caindo em desuso. É que os médicos preferem analisar o T4 livre, que é uma espécie de sobra do hormônio em circulação.

Para que servem os exames

O TSH é mais específico e, por isso, considerado padrão-ouro na avaliação da glândula. Os exames são usados no diagnóstico de disfunções como o hiper e o hipotireoidismo, quando a tireoide funciona rápido ou devagar demais, respectivamente.

 

Como são feitos

A pessoa fica em jejum por cerca de quatro horas no caso da medição do TSH e, no mínimo, por três horas para o T4. Depois, o técnico colhe uma amostra de sangue e envia para análise no laboratório.

 

Os resultados

O laboratório quantifica os hormônios presentes na amostra e, no laudo, o resultado vem junto com valores referência de normalidade para comparação. Os números variam de laboratório para laboratório. Esses são os do Fleury Medicina e Saúde:

TSH – 0,45 a 4,5 mUI/L
T4 Livre – 0,6 a 1,3 ng/dL

Valores abaixo ou acima desses podem indicar problemas.

 

Periodicidade

A dosagem do TSH é usualmente incorporada no checkup anual das mulheres a partir dos 35 anos e, depois dessa idade, repetido de cinco em cinco anos. Mas há controvérsias sobre a necessidade de pedir esses exames quando não há sintomas que indiquem panes na tireoide. Já o T4 livre só costuma ser indicado caso haja uma alteração nos valores de TSH.

 

Cuidados e contraindicações

Algumas situações podem interferir nos resultados, como a ingesta de hormônios tireoidianos sintéticos. Nesse caso, a coleta tem que ser feita antes de tomar o medicamento ou quatro horas depois.

Indivíduos que consomem suplementos com biotina devem suspender o uso três dias antes da coleta de sangue. Fatores como gravidez, idade fértil, presença de anemia e insuficiência cardíaca também precisam ser ponderados pelo médico na hora de interpretar os resultados.

 

Referências: Médicos, livros e site de saúde.

Leia mais sobre hipotireoidismo no site do Ministério da Saúde

Conheça alguns médicos especialistas da área:
Notícias, Tratamentos

  • Veja também


Hipertensão Arterial

Hipertensão: causas, sintomas, diagnóstico e como baixar a pressão   A hipertensão arterial é o aumento anormal – e por longo...

Trombose Venosa

Trombose: o que é, sintomas, cura e muito mais   O que é Trombose? A trombose, também conhecida como Trombose...

Descolamento de Retina

Descolamento de retina: sintomas, tratamentos e causas   O que é Descolamento de retina? A retina é uma fina...

Glaucoma

Glaucoma: o que é, sintomas, tratamentos e causas   O que é Glaucoma? O glaucoma é uma doença ocular caracterizada por...

Aterectomia rotacional

Aterectomia Rotacional   O que é Auriculeta? É uma técnica utilizada durante as angioplastias coronarianas, em lesões ateroscleróticas que...

O que é rinite?

Rinite: o que é, sintomas e tratamentos   O que é Rinite? Rinite é caracterizada por sintomas nasais como...

Diabetes

Diabetes: Sintomas, Tratamentos e Causas   O que é Diabetes? O diabetes é uma síndrome metabólica de origem múltipla, decorrente da...

Angioplastia de Varizes

Angioplastia de Membros Inferiores   O que é? A angioplastia de membros inferiores é um procedimento cirúrgico minimamente invasivo...

Remédios para Rinite Alérgica

Remédio para rinite alérgica: veja opções de tratamento Diversos medicamentos podem ser usados e escolha depende da avaliação do...

Marca-passo para o Coração

Marca-passo: tudo sobre a cirurgia e a vida com o aparelho A pessoa pode ter alta no mesmo dia...

Author: Redação

Share This Post On
468 ad