Radioterapia guiada por imagem

Portal de saúde sobre as principais especialidades da medicina.

Radioterapia guiada por imagem

Desde dezembro de 2006 os pacientes do Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE) contam com tecnologia de alta precisão para o tratamento de alguns tipos de câncer: a Radioterapia Guiada por Imagem (IGRT), que possibilita a localização exata dos tumores.

Utilizada em diversos casos de câncer, a radioterapia passou a ser aplicada depois da descoberta do raio X, no final do século XIX. O primeiro tipo de radioterapia, chamado convencional, utilizava radiografias para estimar a área do tumor. Depois começou a se utilizar a radiografia tridimensional, que permitia planejar as irradiações a partir de tomografia e ressonância magnética. Daí em diante surgiram as técnicas de liberação de doses de radiação, como o IMRT, que permitem tratamento mais preciso.

Dose precisa

A grande vantagem do IGRT é proporcionar ao paciente a dose precisa da radiação no tumor sem atingir as células saudáveis dos órgãos ao redor.

“Ao enviar radiação para áreas além do tumor encontramos dois problemas: não se trata a doença e se atinge áreas saudáveis, o que pode trazer consequências graves em órgãos que não resistem bem à radiação, como o rim e o pulmão”, explica dr. Robson Ferrigno, radioterapeuta do HIAE.

Com a Radioterapia Guiada por Imagem é possível diminuir a extensão da radiação liberada para concentrá-la mais na área do tumor e, dessa forma, aumentar as doses possibilitando melhor controle da doença.

Essa recente evolução da radioterapia é uma técnica que permite melhor posicionamento do paciente para que os médicos possam atingir o tumor com alta precisão, acompanhando inclusive os movimentos da respiração. A técnica é aplicada junto a outras, como a de liberação de doses, chamada IMRT ou radioterapia com intensidade modulada de feixe, que permite a irradiação em maior ou menor quantidade.

O IGRT possibilita maior dose de radiação por dia, justamente por oferecer menos efeitos colaterais que os demais tratamentos. O método adotado atualmente pelo setor de radioterapia do HIAE consiste em 6 a 8 aplicações em dias alternados. “Estamos adotando esse esquema para casos de tumor no pulmão e no fígado”, afirma o dr. Ferrigno.

Há casos em que se pode utilizar dose única de radiação por meio do IGRT, desde que o tumor esteja em localização segura, longe de órgãos sensíveis, como a medula óssea. E há outros casos em que é necessário utilizar a radiação guiada por imagem em diversas aplicações. “Tudo depende da avaliação clínica, que leva em consideração a localização do tumor e as condições do paciente”, ressalta o radioterapeuta.

Principais indicações

Os principais tipos de tumor tratados com a radioterapia guiada por imagem são os de pulmão, fígado, coluna, intra-abdominais, intrapélvicos e próstata. Deve-se considerar, antes da indicação do IGRT o tamanho do tumor, sua localização, características e se é benigno ou maligno.

O tratamento é totalmente indolor e em 90% dos casos não apresenta efeitos colaterais. Nos demais casos, náuseas e febre sentidas no dia da aplicação são sintomas que podem facilmente ser controlados com medicamentos.

Física a serviço da medicina

Para chegar à tecnologia guiada por imagem foi utilizado o princípio da física que estabelece o alvo a partir do cruzamento de duas coordenadas. No caso da física médica aplicada no IGRT, as coordenadas são estabelecidas pelos raios infravermelhos e o alvo é o tumor.

Com o paciente deitado, são coladas pequenas bolinhas – menores que as de gude – em seu abdome. Chamadas de body markers (literalmente marcadores corporais), elas refletem raios infravermelhos. Com o reflexo dos raios é possível visualizar as bolinhas em um monitor. A partir daí, tem-se a reconstrução digital do interior do corpo do paciente e é possível ver localização e forma exatas do tumor.

“Os body markers se movimentam conforme a respiração do paciente. Essa movimentação é refletida pelos raios infravermelhos, o que garante maior precisão na hora de liberar a radiação e que essa seja certeira no tumor”, explica José Carlos da Cruz, físico e coordenador da Física Médica do HIAE.

Antes da irradiação são feitos dois raios X em tempo real. Essas imagens são sobrepostas e comparadas com uma tomografia que o paciente realiza antes de iniciar o tratamento. Então o ponto exato do tumor é visto no monitor. Com essa tecnologia, a margem de erro é menor que três milímetros.

Publicada em março/2007

Atualizada em novembro/2009

 

Fonte: Hospital Israelita Albert Einstein.

Conheça alguns médicos especialistas da área:
Radiologia Intervencionista, Radioterapia

Dr. Henrique Elkis
Radiologia Intervencionista atende em SP Dr. Henrique Elkis - CRM: 97.865 http://www.henriqueelkis.com.br Consulta
Dr. Henrique Lamego
Angiologia e Cirurgia Vascular atende em SP Dr. Henrique Lamego - CRM: 109.306 http://henriquelamego.com.br Consulta
  • Veja também


Angioplastia, quando fazer?

O QUE É ANGIOPLASTIA E COLOCAÇÃO DE STENT? As artérias que fornecem sangue para sua cabeça, coração, rins e...

Marca-passo para o Coração

Marca-passo: tudo sobre a cirurgia e a vida com o aparelho A pessoa pode ter alta no mesmo dia...

Angioplastia de Varizes

Angioplastia de Membros Inferiores   O que é? A angioplastia de membros inferiores é um procedimento cirúrgico minimamente invasivo...

Remédios para Rinite Alérgica

Remédio para rinite alérgica: veja opções de tratamento Diversos medicamentos podem ser usados e escolha depende da avaliação do...

Artrose

Artrose: sintomas, tratamentos e causas   O que é Artrose? A artrose, também chamada de osteoartrite, é uma doença que...

Laringite

Laringite: o que é, remédios, tratamento, sintomas e causas   O que é laringite? A laringite é uma inflamação...

Sinusite X Rinite

Reconheça as diferenças entre os sintomas da rinite e da sinusite   Muitas vezes confundidas, essas doenças precisam de...

Insuficiência Cardíaca

Insuficiência cardíaca: sintomas, tratamentos e causas   O que é Insuficiência cardíaca? A insuficiência cardíaca, também chamada de insuficiência cardíaca...

Insuficiência Renal

Insuficiência renal aguda: sintomas, tratamentos e causas   O que é Insuficiência renal aguda? Insuficiência renal aguda é a...

Hipertensão Arterial

Hipertensão: causas, sintomas, diagnóstico e como baixar a pressão   A hipertensão arterial é o aumento anormal – e por longo...

Author: Redação

Share This Post On
468 ad