Próteses de Membro Inferior

Portal de saúde sobre as principais especialidades da medicina.

Próteses de Membro Inferior

Amputações fazem parte da história da Medicina há séculos. Num passado ainda recente, quando eram realizadas, o amputado ganhava um par de muletas e saía nelas apoiado. Depois surgiram as primeiras próteses que procuravam imitar esteticamente o membro perdido. Em algumas eram desenhados até os pêlos para que ficassem mais parecidas com o membro amputado. É evidente que não conseguiam atingir a finalidade proposta e continuavam sendo apenas uma prótese facilmente reconhecida quando se olhava para elas. Com o passar do tempo, essa filosofia modificou-se por completo. Atualmente, a prótese faz parte do tratamento de reabilitação, uma parte importantíssima, aliás. No entanto, a reabilitação dos amputados envolve uma conduta muito mais ampla. Não há mais a preocupação de imitar o membro perdido. Ao contrário, as próteses assumiram o papel a que se destinam, ou seja, de recuperar a função do membro lesado. Interessa fazer com que o amputado assuma sua nova condição, retome suas atividades rotineiras, possa praticar esportes e viver a vida em sua plenitude.

Cada indivíduo amputado deve ser avaliado minunciosamente e o nível de mobilidade (mobis) dele será um fator de extrema relevância para a prescrição da prótese mais adequada para ele. Para um idoso que deambula apenas em casa nunca será prescrita uma prótese que possa ser usada em terrenos irregulares. Infelizmente o que é “doado” pelo SUS nem sempre atende a todos os indivíduos, os pacientes jovens, por exemplo, não são bem atendidos pelas próteses cedidas pelo SUS, pois estas, de certa forma, limitam a locomoção destes.

A Fisioterapia desempenha papel primordial na equipe multidisciplinar que atua na reabilitação do indivúduo amputado. O Fisioterapeuta deve ser solicitado no pré operatório em amputações eletivas e de forma imediata no pós-operatório de cirurgias reparadoras de amputações traumáticas e nas amputações realizadas por alguma outra emergência clínica.

Ao contrário do que muitos imaginam a colocação de uma prótese não é algo simples e depende, na maioria dos casos, de duas fases: a pré protética e a pós protécica.

Na primeira fase faz-se necessário a preparação do coto para o recebimento da prótese, nela serão objetivos da Fisioterapia a Conificação (modelamento do coto através do uso adequado de faixas elásticas), dissensibilização, prevenção de contraturas musculares, melhora de força muscular, treino para melhora de quelíbrio estático e treino de transferência de peso sobre o mebro amputado, dentre outros, sempre de acordo com a necessidade e respeitando a limitação de cada indivíduo, não há receitas.

Já na fase pós protética será exigido do paciente, dentre outras coisas, a aprendizagem de como colocar a prótese de forma independente e os pacientes deverão aprender a dividir o peso de forma igual entre o membro são e a prótese e a partir destes primeiros passos essenciais o paciente será treinado para ter uma marcha com passos simétricos, boa cadência (velocidade). primeiramente será trabalhado com apoio bilateral e com a progressão será retirado um apoio e por fim o treino será sem apoio em terrenos planos progredindo para terrenos instáveis e irregulares e escadas e rampas.

Cada indivíduo evolproteses1uirá de forma particular, há de se levar em conta as comorbidades; pacientes diabéticos muitas vezes terão que fazer uso de aditamentos (muletas ou andadores) para auxílio, pois apresentam neuroparia diabética, a qual reduz seus níveis de força, equilíbrio e sensibilidade.

O Fisioterapeuta deve estar atento a cada situação e usar o máximo seus conhecimentos em Biomecânica, Cinesioterapia, Fisiopatologia e sobre próteses, além de sempre atuar em conjunto com ortopedistas, psicólogos, terapeutas ocupacionais e técnicos em ortopedia.

Devolver a mobilidade aos amputados é uma tarefa árdua, porém muito nobre e satisfatória.

Fonte: blog.opovo.com.br

Conheça alguns médicos especialistas da área:
Ortopedia e Traumatologia

Dr. André Jorge
Ortopedia e Traumatologia atende em SP Dr. André Jorge - CRM: 101.362 www.orthosport.com.br Consulta
Dr. Daniel Jorge
Ortopedia e Traumatologia atende em SP Dr. Daniel Jorge - CRM: 113.108 www.orthosport.com.br Consulta
Dr. Erick Murata
Ortopedia e Traumatologia atende em SP Dr. Erick Murata - CRM: 101.425 www.orthosport.com.br Consulta
  • Veja também


Angioplastia, quando fazer?

O QUE É ANGIOPLASTIA E COLOCAÇÃO DE STENT? As artérias que fornecem sangue para sua cabeça, coração, rins e...

Marca-passo para o Coração

Marca-passo: tudo sobre a cirurgia e a vida com o aparelho A pessoa pode ter alta no mesmo dia...

Angioplastia de Varizes

Angioplastia de Membros Inferiores   O que é? A angioplastia de membros inferiores é um procedimento cirúrgico minimamente invasivo...

Remédios para Rinite Alérgica

Remédio para rinite alérgica: veja opções de tratamento Diversos medicamentos podem ser usados e escolha depende da avaliação do...

Artrose

Artrose: sintomas, tratamentos e causas   O que é Artrose? A artrose, também chamada de osteoartrite, é uma doença que...

Laringite

Laringite: o que é, remédios, tratamento, sintomas e causas   O que é laringite? A laringite é uma inflamação...

Sinusite X Rinite

Reconheça as diferenças entre os sintomas da rinite e da sinusite   Muitas vezes confundidas, essas doenças precisam de...

Insuficiência Cardíaca

Insuficiência cardíaca: sintomas, tratamentos e causas   O que é Insuficiência cardíaca? A insuficiência cardíaca, também chamada de insuficiência cardíaca...

Insuficiência Renal

Insuficiência renal aguda: sintomas, tratamentos e causas   O que é Insuficiência renal aguda? Insuficiência renal aguda é a...

Hipertensão Arterial

Hipertensão: causas, sintomas, diagnóstico e como baixar a pressão   A hipertensão arterial é o aumento anormal – e por longo...

Author: Redação

Share This Post On
468 ad