Gastrectomia Vertical

Gastrectomia Vertical

A Gastrectomia Vertical é um dos 4 tipos de cirurgia para redução de estômago.

Os outros 03 tipos de cirurgia são: Cirurgia Bariátrica com a Banda Gástrica, Balão Intragástrico e Cirurgia Bypass.

Conhecida também como “Sleeve Gastrectomy”. Este procedimento é diferente do clássico mais realizado no Brasil (Bypass Gástrico), pois não se mexe no intestino e na sua capacidade de absorção do mesmo. Assim como os outros procedimentos cirúrgicos para obesidade é também realizada por videolaparoscopia. Nessa técnica, cortamos o estômago verticalmente de forma a transformá-lo em um tubo fino e estreito.

Histórico

O procedimento nasceu em 2002 , quando o cirurgião canadense Michel Gagner ao se deparar com pacientes muito obesos , de alto risco de morte na cirurgia por doenças associadas, propôs que a realizassem em duas etapas: No primeiro ano, só reduzir o estômago (Gastrectomia Vertical ) sem mexer no intestino. E no segundo ano, completar a cirurgia, incluindo agora o intestino no procedimento. No entanto, quando chegou o 2o ano, vários pacientes não quiseram realizar a outra etapa por estarem satisfeitos com o resultado inicial. Dessa forma, a Gastrectomia Vertical surgiu como um procedimento isolado para o tratamento definitivo da Obesidade Mórbida.

Procedimento

Na Gastrectomia Vertical é realizada uma redução menos acentuada do estômago (cerca de 120 ml) , em contrapartida ao Bypass (30 – 40 ml), transformando-o em um tubo bastante estreito, e não se mexe em intestino ou absorção.

Entre as vantagens, destacam-se a redução de uma Incretina (hormônio produzido pelo estômago), chamado Grelina, que atua reduzindo o apetite, não causa alteração na absorção de ferro, cálcio, vitaminas, e portanto, a reposição, exames e retornos ao consultório são menos frequentes e os riscos de se desenvolver anemia, osteoporose e outras carências vitamínicas é menor. Também, ocorrem menos episódios de hipoglicemia e mal-estar ao comer algum doce (dumping- colocar link para glossário) o que agrada muito a pacientes e médicos.

 

gastrectomia vertical

gastrectomia vertical

A nova técnica (gastrectomia vertical)

Cerca de 80% do estômago é retirado do organismo. Nessa parte retirada era produzido o hormônio grelina (que estimula o apetite)

A parte do estômago que restou é grampeada e transformada em um tubo contínuo que vai do esôfago até o duodeno, onde os alimentos são absorvidos. Não há mudanças no processo digestivo

INDICAÇÕES:

Pessoas com obesidade de grau 1 (com índice de massa corpórea entre 30 e 35)

Pacientes com risco cirúrgico elevado por causa de doenças associadas

Mudanças cirúrgicas

Pacientes que preferem se submeter a esse procedimento dentre os outros disponíveis

DESVANTAGEM:

Os médicos temem que, em dez anos, os pacientes voltem a ganhar peso porque o estômago tende a dilatar.

Estes outros artigos sobre Cirurgia para redução de estômago podem ser de seu interesse:

Indicações e Resultados

Por se tratar de procedimento relativamente novo, os resultados a longo prazo ainda não são comprovados. A perda de peso chega a ser superior a 60% do excesso, o que é bom. Por se tratar de uma cirurgia menos agressiva e sem alterar a absorção, é de se supor que o risco de voltar a engordar seja maior. Daí a importância do paciente colaborar em reduzir a ingestão de alimentos calóricos. Outro fator é que os resultados quanto a correção de Diabetes Tipo 2 e Doença do Refluxo parecem ser inferiores.

Contudo, é um procedimento tentador, principalmente em pacientes no limite da Obesidade Mórbida, em adolescentes ou muito idosos, com doenças associadas, pois se o resultado for bom o paciente recebeu um tratamento menos agressivo e se beneficiou deste. E caso não, o paciente poderá realizar o segundo tempo da cirurgia, conforme sugerido o criador da técnica.

O tempo de realização deste procedimento é em geral de 50 minutos.

Conheça alguns médicos especialistas da área:
Obesidade

  • Veja também


Obesidade infantil – Doença crônica e sono ruim

A obesidade infantil é a doença crônica que mais prevalece na população infantil, atingindo uma em cada três crianças...

Obesidade – Inflamações e alterações metabólicas

Estudo sobre as células mostrou imunidades das mesmas que ficam alojadas no tecido adiposo.  Elas são prejudiciais na obesidade...

Obesidade cresce junto da população brasileira

A obesidade já é uma realidade para 18,9% dos brasileiros. Já o sobrepeso atinge mais da metade da população...

Obesidade infantil: Índice sobe para 72 Milhões até 2025

Conheça dados preocupantes sobre os níveis de gordura infantil, além de maneiras de evitar tal problema com os jovens...

Em 2045 um quarto da população mundial será obesa

Pesquisa aponta em novo estudo que os níveis de pessoas obesas podem crescer alarmante e assim se tornar uma...

Banda Gástrica

A banda gástrica ajustável é um tipo de cirurgia bariátrica onde é colocada uma cinta que aperta o estômago,...

Como calcular o IMC?

Como calcular o IMC? Descubra o seu grau de IMC. Para calcular o IMC você precisa saber seu peso atual e altura....

Obesidade na gravidez

A Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) revelou que, desde 1974, o...

Tipos de Obesidade

A obesidade é uma doença crônica que se caracteriza pelo aumento da gordura corporal. Sendo uma doença crônica, é...

Balão Intragástrico

Balão Intragástrico no tratamento da obesidade Dr. Geraldo Santana – Endocrinologista O que é o balão intragástrico? O balão...

Author: Redação

Share This Post On
468 ad