Doenças cardíacas em homens e mulheres

Doenças cardíacas em homens e mulheres

Dados da Organização Mundial de Saúde mostram que em 2011 as doenças cardiovasculares foram responsáveis por 17 milhões de mortes no mundo. No Brasil, cerca de 300 mil pessoas morrem vítimas de doenças cardiovasculares. Até 2030, mais de 23 milhões de pessoas morrerão anualmente em decorrência da doença no mundo.

No próximo domingo, 29 de setembro, é celebrado o Dia Mundial do Coração. Por aqui, a Sociedade Brasileira de Cardiologia apresenta novas orientações sobre o limite saudável do LDL no sangue. Antes o normal era de até 100 miligramas por decilitro para pacientes com alto risco de doenças cardiovasculares — aqueles que têm histórico familiar ou que associam tabagismo com hipertensão, por exemplo. Agora a luta deve ser para ficar abaixo de 70 miligramas.

Veja algumas pesquisas, dados, curiosidades e dicas para manter a saúde do coração e evitar a primeira causa de mortes no mundo.

 

Mulheres

Riscos maiores

Homens sofrem três vezes mais infartos, mas as mulheres morrem mais do coração. As possíveis causas, segundo a Dra. Magaly Arrais, cirurgiã cardiovascular do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia e do Hospital do Coração, são o estilo de vida moderno, a diferença nos sintomas e a falta de acompanhamento médico.

– O ritmo acelerado expõe ao estresse e favorece hábitos pouco saudáveis, como sedentarismo e má alimentação, que levam ao sobrepeso e à obesidade – explica.

Nas mulheres, a circunferência abdominal deve ter no máximo 80 cm e, a partir dos 40 anos, a recomendação é fazer uma avaliação anual com cardiologista, pois os infartos aumentam no climatério e após a menopausa.

Vilões

Hábitos e genética

Estresse emocional intenso, alimentação irregular, com excesso de sal e gordura, obesidade, sedentarismo, fumo e prática de exercícios sem orientação profissional, além de histórico familiar e predisposição genética são os maiores vilões do coração.

– Controlar os níveis de pressão arterial, a glicose, o colesterol e o estresse, moderar a ingestão de álcool são atitudes que contribuem para um coração saudável – diz o cardiologista Antonio Carlos Till, diretor-médico do Vita Check-Up Center.

Insuficiência cardíaca

9% das causas de morte

Nove por cento das mortes causadas por doenças cardiovasculares são atribuídas à insuficiência cardíaca, quando o coração não consegue bombear sangue suficiente para atender às demandas do corpo.

Uma das opções de tratamento é a terapia de ressincronização cardíaca, com dispositivos como marca-passos ou desfibriladores cardioversores implantáveis, que regularizam o ritmo do coração.

– Assim podemos eliminar sintomas desconfortáveis que só poderiam ser corrigidos por meio de um novo procedimento cirúrgico – explica o professor Martino Martinelli Filho, diretor da Unidade Clínica de Marcapassos do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

Exercícios

Sob supervisão médica

O diretor técnico de Medicina do Exercício do Hospital Pró-Cardíaco, Ricardo Vivacqua, lembra que o sedentarismo é considerado um fator de risco para doenças do coração tão importante quanto o colesterol elevado, hipertensão arterial ou diabetes.

– Caminhar 30 minutos por dia é uma atividade simples que colabora na redução de 50% dos riscos de doença coronariana aguda – diz.

De acordo com a cardiologista Isa Bragança, diretora da CardioMex, o coração de um atleta treinado trabalha menos para produzir a mesma quantidade de energia, quando comparado com um indivíduo destreinado. Daí a importância da avaliação anual.

– Algumas doenças cardíacas congênitas evoluem silenciosamente. Exercícios intensos podem desestabilizar o músculo do coração, provocando uma parada cardíaca – explica.

Estatinas

Controle do colesterol

Um dos fatores de risco mais comuns para doença cardiovascular é a dislipidemia (alteração do colesterol e/ou dos triglicérides), que responde por 50% do risco de infarto agudo do miocárdio e 25% de derrame.

Recentemente chegou ao Brasil a pitavastatina cálcica, que promete reduzir o colesterol ruim, aumentar o colesterol bom com menos efeitos colaterais em relação às demais estatinas. Outra novidade é o menor nível de interação com outros medicamentos, o que faz a droga mais segura para pacientes que usam vários medicamentos ao dia.

Mas muitos especialistas alertam que investir nos exercícios físicos é uma solução melhor que tomar remédio.

Alimentação

Cinco porções de frutas

De acordo com a nutricionista do hospital Pró-Cardíaco, Jacqueline Farret, a alimentação inadequada é uma das causas de doenças crônicas não transmissíveis, principalmente as cardiovasculares.

Estudos provaram que uma dieta balanceada com pouco sal e açúcar e o consumo de cinco porções diárias de frutas ou hortaliças podem ajudar a reduzir o risco de tais doenças, pois contêm vitaminas, fibras, minerais e ainda outras substâncias, como antioxidantes, que auxiliam a viver mais e melhor.

Cerveja

Beba com moderação

Este ano a diretora do Centro de Pesquisa Cardiovascular de Barcelona, Lina Badimón, veio ao Brasil apresentar o estudo realizado ano passado sobre os efeitos protetores da cerveja no sistema cardiovascular.

O estudo mostrou que o consumo moderado de cerveja é capaz de reduzir a cicatriz no coração provocada por um infarto agudo do miocárdio. E até as versões sem álcool da bebida causam os benefícios ao coração.

Prática esportiva

Novas diretrizes

Este ano as sociedades brasileiras de Medicina do Esporte e de Cardiologia apresentam, no congresso que vai de 28 de setembro a 1º de outubro, no Rio, um documento que demorou três anos para ser preparado com o trabalho de 40 especialistas.

A diretriz tem três capítulos e é um documento que responde às perguntas do médico, orienta sobre a avaliação, exames a serem solicitados, o acompanhamento para verificar a evolução do paciente, evitando que ele se lance sem preparação adequada em desafios como uma maratona ou outra corrida de rua.

Conheça alguns médicos especialistas da área:
Cardiologia, Destaques

  • Veja também


Descolamento da retina: Como diagnosticar e tratar?

O descolamento da retina é um grave problema e precisa de cuidados médicos de forma urgente. Quando essa fatalidade...

Quais são os sintomas do HIV?

Os sintomas do contágio do HIV são complicados de serem conhecidos, por serem bastante comuns de outras doenças, a...

Dores de cabeça e Tratamentos

As dores de cabeça afligem a todos, mas os tipos dessa dor nem sempre são iguais. A razão disso...

Quais são os sintomas da Gripe H1N1?

Os sintomas que a gripe H1N1 apresentam estão muito próximos aos que a gripe comum possui. Seu surgimento acontece inesperadamente...

As Doenças que a Acupuntura trata

A acupuntura é uma forma de tratamento terapêutica que tem a China como o seu berço. A técnica prevê...

O que é o Astigmatismo? Sintomas, Causas e Tratamento

Astigmatismo é o defeito óptico resultante de uma curvatura desigual ger. da córnea e mais raramente do cristalino ou...

O que é uma Cesárea?

A cesárea é um tipo de parto que consiste essencialmente de um corte no abdômen e outro no útero...

TDAH – Déficit de Atenção e Hiperatividade: Doença atinge inúmeras crianças

O TDAH –  transtorno do déficit de atenção e hiperatividade tem como característica a presença de sintomas como desatenção, hiperatividade e...

Tafenoquine: Medicamento que trata Malária em apenas uma dose

Doença atinge 8,5 milhões de pessoas ao ano. O medicamento Tafenoquine recebeu autorização dos Estados Unidos, agora outros países...

HIV e DST’s crescem no Brasil

O Ministério da Saúde mostra em recente levantamento o crescimento das DST’s e do HIV, os jovens são os...

Author: Redação

Share This Post On
468 ad