Pesquisa aponta que hipertensão esteja ligada ao risco de demência

Pesquisa aponta que hipertensão esteja ligada ao risco de demência

A pressão alta após os 50 anos pode levar o paciente ao problema neurológico da demência. Sendo assim é importante manter as idas ao médico com frequência.

A pressão alta, por si só, merece atenção e cuidados redobrados no dia a dia. Além disso, agora, um estudo publicado no jornal oficial da Associação Europeia do Coração (European Heart Association) associou a hipertensão ao maior risco de surgimento de demência. A pesquisa foi elaborada pela Universidade College de Londres, na Inglaterra, e revelou que quadros de pressão ligeiramente elevada, a partir dos 50 anos, já são suficientes para aumentar o risco de demência em cerca de 45% até os 75 anos.

“Embora tenha sido feito na Europa, este estudo é bastante relevante para a nossa realidade. Afinal, a hipertensão já atinge 35% da população brasileira, além de ser responsável por desencadear até 80% dos casos de derrame cerebral e 60% dos casos de ataque cardíaco registrados no país”, comenta o cardiologista Abrão Cury, do Hospital do Coração de São Paulo (SP).

O estudo europeu analisou dados de 8.639 pessoas avaliadas pela pesquisa internacional Whitehall II – que, por sua vez, acompanhou 10 mil funcionários públicos britânicos desde 1985. “A investigação verificou que pessoas com 50 anos de idade com pressão arterial sistólica de 130 mmHg, entre a faixa de pressão arterial ideal [90/60mmHg e 120/80mmHg] e aquela considerada alta [140/90mmHg], ou acima, tiveram um risco 45% maior de desenvolver demência”, afirma o médico brasileiro.


Entre os participantes da pesquisa que, de fato, desenvolveram o problema, posteriormente, a idade média de registro dos primeiros sintomas de demência foi de 75 anos. Portanto, segundo o artigo científico, a ligação entre o problema neurológico e a hipertensão estaria no fato de que, com o aumento da pressão arterial, uma sucessão de “micro-derrames” poderia ocorrer, ao longo dos anos, de maneira silenciosa e imperceptível. “De acordo com estes pesquisadores, o acúmulo desses eventos é que talvez houvesse provocado a perda cognitiva registrada nos pacientes investigados, assim que chegaram à terceira idade”, afirma Abrão Cury.

Além de confirmar os efeitos prejudiciais da pressão alta na meia-idade, em relação ao risco de demência, como sugerem pesquisas anteriores, o estudo ainda indica que, aos 50 anos, o risco de se ter o problema neurológico pode ser observado de maneira significativa, inclusive, em pessoas que aumentaram os níveis de pressão arterial sistólica abaixo do limiar comumente utilizado para tratar a hipertensão. “Esta pesquisa é observacional e em nível populacional. Portanto, não pode ser traduzida em implicações para pacientes individuais diretamente. Contudo, vale lembrar que a correção de hábitos cotidianos pode combater a hipertensão e, consequentemente, prevenir as comorbidades que ela desencadeia”, orienta o cardiologista.

Fonte: Revista Encontro

 

Conheça alguns médicos especialistas da área:
Cardiologia, Gestação e Hipertensão, Medicina Intensiva, NOTÍCIAS, saude

  • Veja também


Disforia pós-sexo: Problema causa tristeza após o orgasmo

O que deveria ser apenas o puro prazer acabou se tornando em tristeza. A disforia pó-sexo faz com que...

Bactérias se desenvolvem em próteses de crânio

As próteses de crânio são usadas para substituir partes do mesmo que precisaram ser retiradas. As bactérias encontradas foram...

Esporão, o que é e como surge?

A fasceite plantar ou fascite plantar é uma doença que atinge tecidos que fazem parte da sola do pé...

Dores nos Pés: Um sintoma preocupante

As dores nos pés atingem muitas pessoas no cotidiano. Os graus de dor são diferentes de indivíduo para indivíduo,...

Febre Maculosa: Doença transmitida por carrapatos matou 17 pessoas nesse ano

Ministério da Saúde mostra que no passado as mortes chegaram a 58. Dessa forma em estimativa não aconteceu aumento,...

A Tuberculose coloca toda América do Sul em alerta

Em busca de sanar com a tuberculose, doença que mata inúmeras pessoas por toda a América do Sul está...

Estudos apontam Jogos Lúdicos como peças primordiais as crianças

Os Jogos Lúdicos são atividades desenvolvidas que contribuem para o aprendizado das crianças, principalmente as que estão nos primeiros...

Estudos de terapia experimental curou paciente do Câncer de Mama

Hoje você vai conhecer a história de uma americana que passou por um autotransplante de linfócitos e que seu...

Descoberta possibilidade para tratamento do Câncer de Pâncreas

Pesquisadores espanhóis provam com sucesso em cobaias (ratos) que existe é possível inibir umas das proteínas que mais alimenta...

Miopia cresce entre os jovens

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a chamada “alta miopia” disparou nos últimos anos.   Há 20...

Author: Redação

Share This Post On
468 ad