A revolução do hospital digital

A revolução do hospital digital

Em entrevista ao Saúde Business, o diretor geral da MV, Luciano Regus, enumera as vantagens do hospital digital e sinaliza que a tecnologia será cada vez mais aliada da prática médica, evitando eventos adversos e promovendo a medicina baseada em evidências.

  1. Por que um hospital deveria se tornar digital?

Luciano Regus: Porque o hospital digital vai na direção de criar um ambiente mais controlado pela TI, para aumentar a segurança do paciente. Aspectos importantes do atendimento passam a ter um uso mais intensivo da tecnologia, visando eventos adversos e situações de risco, como dosagens, horários e medicamentos errados. Nos Estados unidos, a HIMSS (Healthcare Information Management Systems Society – Sociedade de Sistemas de Informação e Gestão em Saúde) criou uma certificação internacional para isso, a EMRAM (Electronical Medical Record Adoption Model – Modelo de Adoção do Registro Médico Eletrônico). É também uma estratégia complementar às acreditações, com grande ênfase em automação e foco em aumento da produtividade.

  1. Como sair de um hospital analógico para um digital?

O primeiro passo envolve criar, dentro do hospital, uma cultura de integração dos serviços, para que a instituição percorra o caminho de ampliar o controle de medicamentos ministrados ao paciente, do pedido à avaliação farmacêutica, para chegar na beira do leito e ter a dispensação controlada por dispositivo móvel. Depois, vem a adoção de protocolos de apoio à decisão médica. Geralmente, o médico prescreve, mas o sistema dá poucos alertas para riscos de eventos adversos. Essa camada nova vai sugerir determinadas condutas, com medicina baseada em evidências.

A migração de um hospital analógico para digital começa com uma unidade hospitalar, como a UTI, por exemplo, e gradualmente alcança o hospital inteiro. A instituição, aos poucos, cria processos e supera desafios culturais, como um de séculos, que é trabalhar com papel. Já houve uma evolução para o computador, mas agora é preciso aprender a não imprimir mais e buscar tudo em meio eletrônico. Dessa forma, é possível usar melhor a estrutura e aumentar a produtividade.

  1. Como esse investimento se paga?

Os retornos se dão em diversas áreas, com enfoque especial na qualidade. Na área de medicamentos, a digitalização gera uma economia importante na farmácia, porque se evitam tratamentos dispendiosos e, por vezes, desnecessários. O paciente também tem uma experiência melhor e se sente mais seguro, porque tudo é checado por códigos de barras. Já para o médico, o benefício está nos alertas que evitem que ele erre, que sugiram protocolos e apoiem sua decisão. Esses controles em todas as áreas resultam ainda em aumento do faturamento, porque mais itens são gerados e a conta é fechada mais rapidamente. Além disso, os ganhos do hospital digital se refletem no tempo de internação e capacidade de monitorar eventos que antecipem situações de risco para o paciente. Assim, evita-se o custo do erro.

  1. Quais são as principais tendências quando se fala em hospital digital?

O próprio hospital digital já é uma nova tendência e deve ser expandir, assim como impulsionar várias tecnologias embarcadas nele, como a interface entre sistemas e equipamentos médicos, eliminação do papel, integração das imagens médicas com o Prontuário Eletrônico do Paciente, avaliação e dupla checagem farmacêutica e a verificação dos 5 Certos na beira do leito (data, hora, paciente, via e dose). Aliar segurança e produtividade é muito estratégico, por isso esse assunto vai ser pauta nos hospitais.

Conheça alguns médicos especialistas da área:
Notícias

  • Veja também


Obesidade cresce junto da população brasileira

A obesidade já é uma realidade para 18,9% dos brasileiros. Já o sobrepeso atinge mais da metade da população...

Vacinação contra a pólio começa em 6 de agosto

Em meio ao aumento de casos de poliomielite identificados na Venezuela, o Ministério da Saúde informou que a campanha...

O teste de Q.I. faz realmente sentido em levar em conta seus resultados?

O teste de Q. I. por muitas vezes é levado em conta sobre os níveis de inteligência de uma...

Emotion Park: Diversão, Atividade Física e Saúde

Carlos do Amaral Um grande espaço dentro do Anime Friends tinha uma estrutura com cesta de basquete, traves como...

Swordplay como condutor de Saúde

Carlos do Amaral Um homem de cada lado com uma espada e um juiz os separando. A luta começa...

“Isso aqui me fez sair da depressão”, conta expositora no Anime Friends

Carlos do Amaral Quatro dias foi o período em que o Anime Friends agitou toda a capital paulista. Muitas...

“Consigo trazer as pessoas muita alegria e felicidade com meu trabalho”

Carlos do Amaral Quando participamos de eventos como o Anime Friends é sem dúvida especial. Muitos universos se colidem...

Motivação, Cosplay e o Anime Friends em uma mesma sintonia

Carlos do Amaral O Anime Friends reuniu diversos amantes do mundo geek em um mesmo lugar, o Parque Anhembi....

Espasmo na coluna, um problema que afeta pessoas e também atletas profissionais

Problema que tirou o lateral brasileiro do último jogo da fase de grupos da Copa do Mundo, pode atingir...

Planos de Saúde ficam 10% mais caros

Medida criada em maio foi sendo avaliada durante todo esse tempo e nessa semana recebeu a aprovação dos órgãos...

Author: Redação

Share This Post On
468 ad