Mitos e verdades sobre epilepsia.

Mitos e verdades sobre epilepsia.

Mitos e verdades
Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), cerca de 5% da população terá ao menos uma crise epilética na vida. Sendo que, no Brasil, grande parte dos pacientes ainda não tem um controle adequado das crises, tanto pelo despreparo dos profissionais da área da saúde como por desinformação da população. Por isso, com a ajuda do neurocirurgião Paulo Porto de Melo, colaborador do Departamento de Neurocirurgia da Universidade de Saint Louis (Missouri- EUA), introdutor e pioneiro da neurocirurgia robótica no Brasil, esclarecemos o que é mito e o que é verdade a respeito do distúrbio, para acabar de vez com qualquer desconhecimento: 

Durante uma crise devemos impedir que o paciente engula sua própria língua.
MITO. Esse é um erro comum e perigoso. A língua não enrola e o paciente não é capaz de engoli-la. Não se deve em hipótese alguma introduzir os dedos dentro da boca do paciente, pelo risco de lesões graves nos dedos, e tampouco introduzir objetos rígidos, pelo risco de lesões dentárias e gengivais graves. “O correto é virar o paciente de lado, protegê-lo, deixar que a saliva escorra e aguardar calmamente que a crise acabe, o que ocorre geralmente antes de 3 minutos”, esclarece Melo.

As crises podem ser bem controladas com medicamentos.
VERDADE. O uso regular de uma ou duas medicações é capaz de controlar adequadamente as crises em 70% dos casos. Muitos dessas medicações são distribuídas gratuitamente na rede pública.

Convulsão e ataque epiléptico são sinônimos.
MITO.
 A convulsão é apenas um tipo de ataque epilético. “A convulsão é aquele tipo mais intenso, no qual o paciente perde os sentidos e se debate, podendo morder a língua e urinar na roupa. No entanto, existem crises mais fracas, caracterizadas por breves desligamentos, formigamentos ou contrações restritas a alguns grupos musculares. Se ocorrerem de maneira recorrente, configuram epilepsia”, diz o neurocirurgião.

Epilepsia tem tratamento, mas não tem cura.
MITO.
 Existe a possibilidade de cura em alguns casos, por exemplo, se o paciente ficar muito tempo sem ter crises (mínimo de dois anos) e a medicação for descontinuada sem recorrências; com um procedimento cirúrgico que retira a causa das crises; pelo próprio amadurecimento do cérebro em alguns tipos de epilepsias infantis.

A saliva durante uma convulsão pode transmitir a doença.
MITO.
 A epilepsia não é uma doença contagiosa. Melo garante que o contato com a saliva do paciente de maneira alguma torna a outra pessoa epilética. “No entanto, a saliva pode transmitir (mesmo que raramente) algumas doenças infecciosas. Por isso, não é recomendado o contato desnecessário com a saliva de um desconhecido sem mecanismos de proteção”, afirma.

Devemos dar dose extra do remédio ao paciente quando ocorre uma crise.
MITO. As medicações devem ser mantidas nos horários acertados pelo médico. Não se deve dar remédio extra durante ou logo após a crise, nem passar água fria e muito menos álcool no rosto do paciente, pois são medidas absolutamente sem efeito.

Pacientes com epilepsia têm dificuldades mentais.
MITO. A maioria dos pacientes com epilepsia tem inteligência absolutamente normal, alguns até acima da média. Uma pequena parcela apresenta patologias que causam dificuldade intelectual associada às crises.

O paciente com epilepsia pode levar uma vida normal.
VERDADE. Pacientes bem controlados podem e devem trabalhar, praticar esportes, casar, ter filhos, etc. Até mesmo dirigir o paciente pode após 2 anos de controle e bom seguimento clínico.

  • Veja também


Delboni lança serviço exclusivo para idosos

Foi pensando nessa realidade e tendência do perfil da população brasileira que o Delboni Medicina Diagnóstica criou o Club...

Hospital Sírio-Libanês no Congresso da Sociedade de Cardiologia de SP (Socesp) 2017

Hospital Sírio-Libanês participa de um dos maiores eventos de cardiologia O Hospital Sírio-Libanês estará presente na 38.ª edição do...

Casa de Saúde Saint Roman realiza mais de 70 mil atendimentos

A Casa de Saúde Saint Roman, referência nos tratamentos da saúde mental e dependência química no Rio de Janeiro,...

5 motivos para o médico ir até você

A tecnologia está conferindo um papel importante na saúde: unir acessibilidade para atender uma grande demanda de usuários que...

Instituto Oncoclínicas lança plataforma digital

O Instituto Oncoclínicas de Ensino, Pesquisa e Educação Médica Continuada (IOEPEMC) acaba de lançar o canal na internet com acesso...

A revolução do hospital digital

Em entrevista ao Saúde Business, o diretor geral da MV, Luciano Regus, enumera as vantagens do hospital digital e...

Como a telemedicina está transformando os cuidados em saúde [Infográfico]

Vivemos um período marcado por conexões de internet mais rápidas, smartphones onipresentes. O momento contribui para que o setor...

Ateliê Oral apresenta tendências para odontologia (Soluções Ateliê Oral)

Estamos vivendo um momento crucial na odontologia. Com o auxílio de avançadas ferramentas tecnológicas, esta área da saúde não...

Nova regulamentação autoriza farmácias a aplicar vacinas

As farmácias estão entrando em um novo mercado que é no momento atual dominado pelas clínicas de imunização. Uma...

Doação de sangue 2017 | Campanha de doação de sangue envolve celebridades

Atualmente, 1,8% da população brasileira doa sangue. A Campanha tem como objetivo reafirmar a importância do ato e incentivar...

Author: Redação

Share This Post On

Agência de Marketing especialista na área da saúde.
www.convertmkt.com.br