HPV

HPV

O que é HPV?

Sinônimos: vírus do papiloma humano

O HPV é um condiloma acuminado, conhecido também como verruga genital, crista de galo, figueira ou cavalo de crista, é uma doença sexualmente transmissível (DST) causada pelo Papilomavírus humano (HPV). Atualmente, existem mais de 100 tipos de HPV – alguns deles podendo causar câncer, principalmente no colo do útero e do ânus. Entretanto, a infecção pelo HPV é muito comum e nem sempre resulta em câncer. O exame de prevenção do câncer ginecológico, o Papanicolau, pode detectar alterações precoces no colo do útero e deve ser feito rotineiramente por todas as mulheres. Além disso, podem provocar tumores na garganta, tanto benignos quanto malignos.

ADAM

O HPV é uma DST que pode causar câncer principalmente no colo do útero e no ânus

Não se conhece o tempo em que o HPV pode permanecer sem sintomas e quais são os fatores responsáveis pelo desenvolvimento de lesões. Por esse motivo, é recomendável procurar serviços de saúde para consultas periodicamente.

HPV2015

 

O QUE É O CÂNCER DE COLO DO ÚTERO

O câncer de colo do útero é uma doença grave que, às vezes, pode representar ameaça à vida. No Brasil, a cada ano, ocorrem 19.000 novos casos e 5.000 mortes secundárias a esse câncer. As lesões que precedem o câncer de colo do útero podem ser detectadas no exame de Papanicolau.

O QUE SÃO AS VERRUGAS GENITAIS?

As verrugas genitais são formações de consistência amolecida semelhantes a verrugas comuns que ocorrem nos genitais de homens e mulheres. Podem causar sintomas como ardor, coceira ou corrimento e reincidem em pelo menos 25% dos casos. É uma doença que pode gerar baixa autoestima e grande impacto psicológico em homens e mulheres.

O QUE SÃO OS CÂNCERES DE VAGINA, VULVA E ÂNUS?

São tipos de câncer menos comuns. Não existem exames de rotina para esses casos de câncer. Para realizar o diagnóstico precoce, é necessário fazer consultas de rotina ao seu médico.

Causas

A principal forma de transmissão do vírus do HPV é pela via sexual. Para ocorrer o contágio, a pessoa infectada não precisa apresentar sintomas. Mas, quando a verruga é visível, o risco de transmissão é muito maior. O uso da camisinha durante a relação sexual geralmente impede a transmissão do HPV, que também pode ser transmitido para o bebê durante o parto.

Sintomas de HPV

A infecção pelo HPV normalmente causa verrugas de tamanhos variáveis. No homem, é mais comum na cabeça do pênis (glande) e na região do ânus. Na mulher, os sintomas mais comuns do HPV surgem na vagina, vulva, região do ânus e colo do útero. As lesões do HPV também podem aparecer na boca e na garganta. Tanto o homem quanto a mulher podem estar infectados pelo vírus sem apresentar sintomas.

Tratamento de HPV

Na presença de qualquer sinal ou sintoma do HPV, é recomendado procurar um profissional de saúde, para o diagnóstico correto e indicação do tratamento adequado para o HPV.

Prevenção

Vacina

Foram desenvolvidas duas vacinas contra os tipos de HPV mais presentes no câncer de colo do útero: a vacina bivalente e a vacina quadrivalente. Essas vacinas, na verdade, previnem contra a infecção por HPV. Mas o real impacto da vacinação contra o câncer de colo de útero só poderá ser observado após décadas. Uma dessas vacinas é quadrivalente, ou seja, previne contra quatro tipos de HPV: o 16 e 18, presentes em 70% dos casos de câncer de colo do útero, e o 6 e 11, presentes em 90% dos casos de verrugas genitais. A outra é específica para os subtipos de HPV 16 e 18.

É fundamental deixar claro que a adoção da vacina contra o HPV não substituirá a realização regular do exame de citologia, Papanicolau (preventivo).

A vacina contra o HPV é mais uma estratégia possível para o enfrentamento do problema e um momento importante para avaliar se há existência de DST. Ainda há muitas perguntas sem respostas relativas à vacina do HPV:

  • A vacina do HPV só previne contra as lesões précancerosas ou também contra o desenvolvimento do câncer de colo de útero?
  • Qual o tempo de proteção conferido pela vacina do HPV?
  • Levando-se em conta que a maioria das infecções por HPV é facilmente debelada pelo sistema imunológico, como a vacinação afeta a imunidade natural contra o HPV?
  • Como a vacina afeta outros tipos de HPV associados ao câncer de colo de útero e condilomas (verrugas)?

A vacina do HPV funciona estimulando a produção de anticorpos específicos para cada tipo de HPV. A proteção contra a infecção vai depender da quantidade de anticorpos produzidos pelo indivíduo vacinado, a presença destes anticorpos no local da infecção e a sua persistência durante um longo período de tempo.

A duração da imunidade conferida pela vacina do HPV ainda não foi determinada, principalmente pelo pouco tempo em que é comercializada no mundo, desde 2007. Até o momento, só se tem convicção de cinco anos de proteção. Na verdade, embora se trate da mais importante novidade surgida na prevenção à infecção pelo HPV, ainda é preciso delimitar qual é o seu alcance sobre a incidência e a mortalidade do câncer de colo do útero.

PREVENÇÃO PRIMÁRIA

Evita a contaminação pelo HPV

A. Uso de preservativo: ajuda a reduzir a transmissão, mas não garante a proteção total contra o contágio.

B. Vacinação contra o HPV: recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e Sociedade Brasileira de Imunização (SBIm). A vacina contra HPV faz parte do calendário público de imunizações, para meninas de 11 a 13 anos em 2014 e de 9 a 11 anos em 2015.

Existem dois tipos de vacinas. Para mais informações, consulte seu médico.

PREVENÇÃO SECUNDÁRIA

Faz o diagnóstico precoce da lesão antes que esta se transforme em câncer, e permite o tratamento em tempo hábil com nenhuma ou mínimas sequelas.

A. Papanicolau do colo do útero: deve ser realizado rotineiramente em mulheres a partir dos 25 anos de idade ou a critério médico.

B. Papanicolau do ânus: é indicado para homens e mulheres que já tiveram lesões pré-cancerosas relacionadas ao HPV nas áreas genital e anal, que mantêm relações sexuais anais, que têm HIV ou ainda a critério médico.

C. Colposcopia do colo do útero ou do ânus: caso o Papanicolau apresente alterações, esse exame de imagem permitirá a visualização da área alterada e a biópsia do local para confirmação do diagnóstico, além de definir a melhor conduta a ser adotada no tratamento.

COMO OCORRE O CONTÁGIO?

A transmissão ocorre por contato direto com a pele infectada. O HPV é altamente contagioso, sendo possível contaminar-se com uma única exposição ao vírus. Apesar da principal via de contágio ser a sexual, estudos recentes mostraram que o HPV pode ser transmitido por meio de simples contato genital ou inoculação do vírus a partir dos dedos ou objetos e roupas íntimas.

COMO O HPV SE MANIFESTA E QUAL O IMPACTO?

Na maioria dos casos, o HPV é uma infecção transitória, não apresenta sintomas e desaparece do organismo espontaneamente. Entretanto, em alguns casos pode causar doenças,

Quatro tipos de HPV causam a grande maioria das doenças relacionadas à infecção.

Os HPV tipos 16 e 18 são responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer do colo do útero, 87% de câncer do ânus, 60% de vagina e 50% de câncer de vulva. Já os tipos 6 e 11 causam aproximadamente 90% das verrugas genitais, um dos problemas de saúde mais comuns e com taxas crescentes em todo o planeta. Esse vírus é responsável por cerca de 5% a 10% de todos os cânceres no mundo.

 

Fonte: Portal Minha Vida.

  • Veja também


LIPOFUSCINOSE CEROIDE NEURONAL – CLN2

Lipofuscinose Ceroide Neuronal Ceroide Lipofuscinose Neuronal (CLN) , é uma doença neurodegenerativa de origem genética que determina comprometimento progressivo...

Delboni lança serviço exclusivo para idosos

Foi pensando nessa realidade e tendência do perfil da população brasileira que o Delboni Medicina Diagnóstica criou o Club...

Hospital Sírio-Libanês no Congresso da Sociedade de Cardiologia de SP (Socesp) 2017

Hospital Sírio-Libanês participa de um dos maiores eventos de cardiologia O Hospital Sírio-Libanês estará presente na 38.ª edição do...

Casa de Saúde Saint Roman realiza mais de 70 mil atendimentos

A Casa de Saúde Saint Roman, referência nos tratamentos da saúde mental e dependência química no Rio de Janeiro,...

5 motivos para o médico ir até você

A tecnologia está conferindo um papel importante na saúde: unir acessibilidade para atender uma grande demanda de usuários que...

Instituto Oncoclínicas lança plataforma digital

O Instituto Oncoclínicas de Ensino, Pesquisa e Educação Médica Continuada (IOEPEMC) acaba de lançar o canal na internet com acesso...

A revolução do hospital digital

Em entrevista ao Saúde Business, o diretor geral da MV, Luciano Regus, enumera as vantagens do hospital digital e...

Como a telemedicina está transformando os cuidados em saúde [Infográfico]

Vivemos um período marcado por conexões de internet mais rápidas, smartphones onipresentes. O momento contribui para que o setor...

Ateliê Oral apresenta tendências para odontologia (Soluções Ateliê Oral)

Estamos vivendo um momento crucial na odontologia. Com o auxílio de avançadas ferramentas tecnológicas, esta área da saúde não...

Nova regulamentação autoriza farmácias a aplicar vacinas

As farmácias estão entrando em um novo mercado que é no momento atual dominado pelas clínicas de imunização. Uma...

Author: Redação

Share This Post On

Agência de Marketing especialista na área da saúde.
www.convertmkt.com.br