TPM é uma doença?

TPM é uma doença?

A TPM são Sintomas intensos na fase pré-menstrual que afetam a qualidade de vida e exigem cuidados.

Complicado, mas ainda ninguém conseguiu entender definitivamente o que é a TPM.
Por isso hoje a definição mais aceita é que se trata de um conjunto de sintomas que surgem uns dez dias antes da menstruação.
E ponto.
Por isso a TPM foi batizada como síndrome.

A Medicina já catalogou mais de 150 sintomas da TPM que costumam aparecer nesse período.

A TPM atinge metade das mulheres em idade fértil.

Quem está por trás desses males são as oscilações dos hormônios.
Vale frisar que esse sobe-desce dos hormônios é absolutamente normal.

Afinal, todas as mulheres, com e sem a síndrome, têm os mesmíssimos altos e baixos hormonais. O que deflagra os sintomas da TPM é a sensibilidade de cada mulher.

O cenário da TPM está na segunda metade do ciclo feminino.
É quando entra em cena a progesterona, o hormônio que prepara o corpo para a fecundação e para a gravidez, que os problemas começam. Isso porque ela também diminui os níveis de serotonina no cérebro, um neurotransmissor que dá a sensação de bem-estar.

Então os sintomas mais comuns da TPM aparecem, como: irritabilidade, ansiedade, depressão, etc.
Mas seus efeitos não param por aí:

A TPM interfere na produção de aldosterona, o hormônio envolvido na retenção líquida o que causa os desagradáveis inchaços e a dor de cabeça.

Como se fosse pouco, a progesterona ainda dispara a produção de prostaglandinas, substâncias que, em excesso, se tornam inflamatórias.

O resultado?

  • Dores
  • Dores e mais dores
  • Dores no corpo
  • Dores nas mamas
  • Dores nas costas
  • Dores nos músculos
  • Inchaço
  • Compulsão por doces
  • Alteração no humor
  • Ansiedade
  • Irritação
  • Depressão
  • Perca da paciência
  • Falta de disposição
  • Etc.

Ou seja a TPM traz sintomas tão diversos, que o tratamento varia de mulher para mulher.

Assim, dependendo da intensidade do sintoma da TPM, o médico pode receitar antidepressivos, antiinflamatórios, analgésicos ou diuréticos.

A novidade é um novo contraceptivo oral que acaba de receber o aval contra a TPM. Por ter efeito diurético, além de prevenir a gravidez, ele ameniza os sintomas relacionados à retenção hídrica, converse com seu médico e peça indicações.

Mas a TPM é uma doença?

Para uma pequena parcela das mulheres que tem TPM o período é muito mais do que um incômodo.

Trata-se de uma doença grave.

O quadro, chamado de desordem disfórica pré-menstrual (DDPM), é definido como uma forma de bem mais severa de e chega a atingir cerca de 2 a 9% da população.

“Quem sofre da síndrome apresenta principalmente alterações emocionais”, conta Rosa Maria Neme, diretora do Centro de Endometriose São Paulo e membro das equipes médicas dos hospitais Albert Einstein, Samaritano, São Luiz e Sírio Libanês.

A doença ainda é uma incógnita para os especialistas, já que as causas do problema não estão bem definidas. Segundo Maria Celeste Osório Wender, diretora científica da Associação de Ginecologia e Obstetrícia do Rio Grande do Sul (SOGIRGS), “algumas pesquisas têm demonstrado uma diferença genética no receptor de estrogênio em mulheres com a doença. Mas isso ainda está em estudo”. Apesar desse ponto de interrogação, uma coisa é certa: a DDPM transforma a vida da mulher (e das pessoas que convivem com ela) em um verdadeiro pesadelo.

TPM pode ser uma Bomba-relógio

É basicamente dessa forma que a portadora da síndrome (TPM severa ou DDPM ) pode ser descrita dias antes da menstruação, quando costuma apresentar:

  • humor deprimido
  • Dificuldade de concentração
  • Alteração do apetite
  • Cansaço
  • Agressividade
  • Desânimo
  • Sensação de perda de controle
  • entre outros sintomas.

Maria Celeste diz que é preciso desconfiar do problema quando pelo menos cinco alterações como essas são verificadas na maioria dos ciclos menstruais e interferem bruscamente no dia a dia da mulher, atrapalhando suas relações profissionais e pessoais.

TPM Causa briga no trabalho e bipolaridade. tem gente que acha que TPM é bobagem.

TPM Causa briga no trabalho e bipolaridade. tem gente que acha que TPM é bobagem.

Vale ressaltar que esse turbilhão de emoções deve aparecer apenas na segunda fase do ciclo menstrual, ou seja, mais ou menos uma semana antes da menstruação. Após a chegada do fluxo, todos os sentimentos são atenuados.

“É importante ficar atenta a isso porque muitas mulheres acham que têm DDPM quando, na verdade, são portadoras de doenças como depressão ou bipolaridade, cujos sintomas pioram na fase pré-menstrual”, salienta Joel Rennó Jr., psiquiatra do Projeto Pró-Mulher, um programa de atenção à saúde mental da mulher desenvolvido pelo Instituto de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

TPM não é frescura!

Um dos grandes empecilhos para realizar o diagnóstico da DDPM (TPM severa) é a banalização dos sintomas presentes na fase pré-menstrual.

“Muitas mulheres deixam de procurar ajuda porque a sociedade estabelece que se trata de um quadro simples, facilmente resolvido com medidas complementares”, conta Rennó. O problema é que se não receber o tratamento adequado, a mulher pode sofrer com a piora dos sintomas após os 35 anos.

Por isso é crucial saber da existência desses casos bem graves que, além de serem incapacitantes, não desaparecem apenas com mudanças de hábitos, como manutenção de uma dieta equilibrada e prática de exercícios.

“Geralmente o tratamento da doença DDPM (TPM severa) é feito com medicações antidepressivas e ansiolíticas e também com terapia, para auxiliar no alívio dos sintomas”, finaliza Rosa Maria.

Em São Paulo conversamos com a Dra. Alessandra Rascoviski que afirmou que as mudanças homonais mudam completamente o comportamento da mulher.

“Mau humor, mudanças de peso, alterações na pele, variações no metabolismo… os hormônios assinam essas e muitas outras características que você sente no dia-a-dia e, nem sempre, consegue entender por que acontecem. Quantidades muito pequenas de hormônios podem desencadear respostas muito grandes no organismo. Em última instância, os hormônios controlam a função de órgãos inteiros.”

Veja no meu site como os hormônios afetam a vida da mulher:  www.AlessandraRascovski.com.br/hormonios 

Sugestão de onde se consultar em SP:

Clínica médica Alessandra Rascoviski
Médica endocrinologista especialista em hormônios
Itaim Bibi: Rua Viradouro, 63 – 11º and. – São Paulo/SP
Tel.: 11. 3158.5302

 

Fontes: IG, UOL e SOGESP

 

Conheça alguns médicos especialista da área:
Destaques, Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia e Obstetrícia atende em SP Dra. Renata Zito - CRM: 78.391 Consulta
  • Veja também


Novos estudos ligam apneia do sono à asma e ao Alzheimer

Três pesquisas que serão apresentadas em conferência da Sociedade Americana Torácica detalham causas e complicações do distúrbio do sono...

Sangue de cordão umbilical pode salvar vidas

O sangue do cordão umbilical do recém-nascido, antes descartado, passou a ter um outro valor, pois é rico em...

Corticoide aumenta risco de diabete

No dia 14 de Novembro é o Dia Mundial do Diabetes. A data é essencial para lembrar a importância...

Demência

24As queixas de déficit de memória nos idosos pode estar relacionada a demência que se apresenta como déficit c2ognitivo...

Vacina Meningite B

Geralmente a Vacina de Meningite B pode ser aplicada em postos de saúde ou em clínicas de vacina. Em...

Mioma é câncer?

Não, mioma não é um câncer. Mioma é um tumor benigno que pode ser tratado. Ainda não se sabe...

Exames de mioma

Exames para Identificação de Miomas O diagnóstico do mioma pode ser feito pelo histórico da paciente e pelo exame físico....

Anticoncepcional X Mioma

Procure um médico antes de iniciar qualquer método contraceptivo, na consulta de rotina com seu Ginecologista, casos de mioma...

Mioma na Menopausa

Mesmo na menopausa as mulheres já podem contar com tratamentos alternativos como a embolização de mioma que elimina o...

Sintomas do Mioma Uterino

50% das mulheres em idade reprodutiva têm mioma uterino. Destas, metade não apresenta nenhum sinal ou sintoma de mioma. O Dr....

Author: Redação

Share This Post On